quinta-feira, agosto 30, 2012

Bem-vindo ao lar'




Acaricio as teclas deste velho computador procurando por palavras bonitas.
Preciso lhe escrever o que tem me feito acariciar os móveis. Preciso lhe contar o que ando conversando com a televisão.
Preciso lhe mostrar o que deixei que o espelho visse ontem.
Talvez seja bobagem querer que tu não saias para o trabalho.Talvez seja loucura esperar que tu não deixes a cama pela manhã. 
Talvez.
A música dança com meu coração enquanto não posso embalar-te em passos que tu não conheces.  Enquanto tu não danças comigo.
Ah, meu amor... Vem logo para eu te dizer o quando senti tua falta. Vem para que os móveis a sintam de mim. 


(Suelen de Miranda)

*20-08-2012 / 20h07. 
Eu não iria postar esse mas, dos últimos textos que escrevi é o menos desesperado. 
Não tenho conseguido dormir direito, as lembranças ficam cada vez mais nítidas e frequentes.  Não está tudo bem. Não mesmo. Foi comigo, caralho! Como é que ainda podem ter a esperança de que eu esteja bem. Quando eu insisti para que nada fosse feito ninguém deu a mínima, e agora querem que eu sorria ainda mais?. 
Estou com medo de mim.

4 Comentários.:

  1. É muito fácil pra todo mundo falar o que devemos fazer, como devemos agir quando elas se que nem suspeitam o que se passa por dentro de nós, é simples quando eles sequer nem imaginam o quanto determinadas coisas nos machucam e nos deixam marcas profundas... Muitas vezes eternas.
    A única diferença, é que em alguns casos, (raras) pessoas conseguem esconder tudo com um sorriso, enquanto morrem por dentro.
    Mais uma vez (pra variar), um belo texto Su. As suas palavras a cada dia que passam, estão ficando mais belas. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Em partes concordo com a Desa; em outras, acredito que certas pessoas falam sobre o que têm por si próprias o conhecimento, ainda que para o ouvinte tais palavras assemelhem-se à algo intangível. Já pelo texto, sou de inteiro acordo! Os teus textos são os mais belos; evoluem à medida de tua alma, 'amadurecem' contigo.

    Fica bem, meu amor;
    Je t'aime ♥

    ResponderExcluir
  3. Oi Suelen,
    Por engano apaguei seu comentário lá no Vida de Escritor, mas eu copiei o seu texto e inclui como um comentário meu, indicando que era sua contribuição, para a Ananda receber seu feedback. Se quiser repetir o comentário lá, aí eu excluo o meu.
    Mas, no fundo, isso acabou sendo bom pois acabei vindo aqui e conhecendo seu blog!
    Suas palavras refletem bem a angústia de todo ser humano e, segundo acredito, ainda mais as angústias de todo escritor. Eu escrevo muito melhor quando estou angustiado ou apaixonado.
    É como dizia Nelson Rodrigues: Seja quente ou seja frio, mas nunca seja morno!
    E todos artistas, todos que precisam se expressar para viver, seja através da escrita, da pintura ou de qualquer outra arte, são seres que vivem e sentem intensamente.
    Curta este sentimento, mesmo que ruim, e o deságue em suas palavras, com a certeza de que é melhor ficarem na tela que no peito.
    E confie naquela grande verdade: o dia seguinte sempre será melhor que o hoje, nestas situações!
    []s

    ResponderExcluir
  4. E cadê as atualizações desse blog? U_Ú

    ResponderExcluir