domingo, novembro 11, 2018

Coincidência'




Dor é dor. 
E a tua é a mesma que a minha;
Tem ponta de estaca e tem areia nos pulmões.
Como se sente nunca importou,
Mas o quanto se suporta.
Dor é dor.
E a minha é a mesma que a tua;
Tem fel em navalha e tem sangue fora das veias.
Como se sente não importa,
Mas o quanto se suporta.
Dor é dor.
Meu barco só tem remos e o teu apenas motor;
Tem maré baixa ou correnteza, meu amor.
Mas nos mantemos na superfície da mesma água.
Não é sobre como se navega, e sim como se flutua...
...Dor é dor.


[Suelen de Miranda]

*https://www.youtube.com/watch?v=290dyaZJjFA
O que está acontecendo?
É diferente e doer não é mais confortável.

quinta-feira, novembro 01, 2018

Teor'






Tu nunca irás saber.
Eu te digo todos os dias sem falar,
Te beijo dezessete vezes sem tocar.
Tem vez que a culpa foi minha,
Tem vez que estou contigo naquela rua.
Tu nunca irás saber.
Eu rego as flores da tua lápide só de chorar,
Te enterro todas as noites dentro de mim.
Tem vez que a culpa é dele,
Tem vez que tu está comigo naquele sofá.
Tu nunca irás saber. 
E não é triste perceber?...
Tudo que tu sempre quis; eu não vou poder dizer,
Que tudo que tu foi; ninguém jamais...
E que o pior de tudo, sou eu;
Vou me perguntar pelo resto da vida,
E nunca irei saber...
O que te fez querer morrer.



[Suelen de Miranda]


*Me disseram como foi. Eu sinto mais saudade do que raiva ainda. 
O problema não é que não é fácil... O problema é que é quase insuportável.
Trabalho novo tá bacana... Eu acho justo registrar isso aqui. Tem vez que o universo fica com pena de gente que nem eu, acho. E dá algo pra fazer um agrado. Quem nem quando suicídio é o rolê da noite mas ligo a tv e tá passando Totoro pela milésima vez em algum canal e ali mesmo eu fico.

quarta-feira, outubro 10, 2018

Medida'




Tu ainda lembra?
Até porque tu nunca foi apenas membros;
Tu foi casa e abraço.
Mesmo eu sendo apenas visita.
Tu ainda lembra?
Até porque tu não foi apenas pele.
Tu foi cama e toque.
Mesmo eu sendo apenas despedida.
Tu ainda lembra?
Até porque tu nunca foi apenas cérebro.
Tu foi voz e salvação.
Mesmo eu, sendo apenas.
Tu ainda lembra de mim?
O que tu não és mais; eu quero me tornar.
O que tu és resto; eu quero reconstruir.
Faz o vento me dizer que tu deixa...
Que me perdoa por insistir em te procurar.




[Suelen de Miranda]



*Eu prometo que tentarei escrever sobre outras coisas. Mas é difícil escrever sobre algo diferente quando escrever é sangrar, e só se sangra por um corte.
As coisas estão esquisitas. Eu não conheço mais ninguém. Quase nem eu mesma. 

sábado, outubro 06, 2018

Sequela'








Tudo que é demais, se torna nada.
Por todas as vezes em que queimamos;
A céu aberto ou em frente ao teu fogão.
Teu exagero e minha cautela, 
Nós dois sem sabermos subtrair.
Tudo que é demais, se torna nada.
Por todas as vezes que chovemos;
Sob uma música alta ou no teu sofá.
Tuas promessas e meu medo,
Nós dois sem podermos partir.
Tudo que é demais, se torna nada.
Por todo o tempo que fomos;
Em meio aos gritos ou na madrugada.
O que tu pedias e eu possuía,
Nós dois sem querermos parar.
Tudo que é demais, se torna nada.
Talvez seja por isso,
Pois eu tenho percebido...
Onde tu dói, eu não sinto mais.


[Suelen de Miranda]


* Eu levo feito amuleto da sorte. Levo comigo até onde não deveria.
Acalento o que me convém pra funcionar de 2ª a 2ª e seguir o protocolo.
Saudade é hematoma que não vai embora. 
Estar basta, coração.

quarta-feira, agosto 15, 2018

Ópio'



E se?…
Minha voz fosse pólvora,
Minhas palavras, munição…
Como tu iria te proteger?
E se?...
Meus lábios fossem mentira,
Meus beijos, veneno…
Quanto tempo tu iria esperar?
E se?...
Meu coração fosse explosivo,
Meu sangue, faísca...
Como tu iria me desarmar?
E se?...
Minha pele fosse armadura,
Minha mente, fortaleza...
Você desistiria de tentar?
Ou eu desistiria de deixar?


[Suelen de Miranda]


* Eu não sei. Tem vontades que não vão embora e eu preciso respirar.
https://www.youtube.com/watch?v=AnW19Rfd-DI
tem corpo que não decompõe, tem coração que não bate. 
as coisas estão todas bagunçadas. arruma. if i set my self on fire, will you let me burn forever?
 please.